Com todos os funcionários e os 170 residentes vacinados com as duas doses do imunizante contra a Covid-19, o Lar Torres de Melo, localizado em Fortaleza, planeja aos poucos retornar à rotina sem restrições e continuar sua tradicional atividade de cuidar das pessoas idosas, depois que o Estado do Ceará flexibilizar a abertura.

Esse trabalho de atendimento, que já tem 115 anos, sofreu mudanças que começaram em março de 2020, quando teve início a pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Nessa ocasião, a casa contava com 210 moradores, mas alguns deles saíram do ambiente e preferiram ficar com suas famílias, principalmente devido às incertezas com relação isolamento social que todos teriam de passar.

Então, o Lar Torres de Melo adotou diversos protocolos para proteger seus moradores. Assim, visitas foram proibidas, as saídas e passeios dos idosos suspensas por tempo indeterminado, os moradores começaram a conversar com seus amigos e familiares por meio de vídeo-chamadas e os colaboradores do setor administrativo passaram a trabalhar em home office.

Além disso, os residentes tiveram palestras sobre higienização e medidas protetivas contra o coronavírus; foram intensificados os cuidados com o recebimento de doações; houve isolamento de pessoas com sintomas suspeitos e quarentena para quem retornava de hospital; e foi antecipada a imunização contra Influenza para todas as pessoas idosas e colaboradores.

Carinho sem distanciamento

Seja nas fases mais difíceis da pandemia ou agora, o que não sofreu mudança no Lar foi o carinho e o cuidado para com as pessoas idosas que vivem lá. Todos os dias, médicos residentes e internos da Unifor (Universidade de Fortaleza), além da médica da instituição, vão à entidade. Lá também há um plantão permanente de enfermeiros, técnicos de enfermagem e cuidadores de idosos. E psicóloga, fisioterapeuta, farmacêutica, nutricionistas, economista doméstica, terapeuta ocupacional e assistentes sociais estão à disposição para atender os idosos.

O que também não teve alteração foi a alegria nos dias de aniversários, que foram comemorados por meio de vídeo-chamadas, com direito a pedaços de bolo para todos os residentes.

“Espera-se que em breve a situação no Ceará melhore, para que as visitas agendadas possam ser retomadas no Lar, como ocorreu entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, cumprindo a portaria da Secretaria de Saúde do Estado. Até lá, os moradores continuam fazendo encontros virtuais com seus familiares e amigos”, comenta Adriana Farias Lacerda de Freitas, Gerente Social da entidade.

Mais de um século em prol do idoso

O Lar Torres de Melo foi fundado em 1905 e atualmente é a maior Instituição de Longa Permanência para Idosos do Norte e Nordeste do país.

A instituição oferece aos seus residentes, a partir dos 60 anos de idade, assistência integral, que inclui alimentação, serviço social, acolhimento e moradia. Além de atenção à saúde, que engloba enfermagem, fisioterapia, nutrição, terapia ocupacional e atendimentos médico e farmacêutico; e atividades sociais, recreativas e lúdicas.

Atualmente, 170 idosos residem no Lar e novos moradores só poderão ingressar na casa se estiverem vacinados contra a Covid-19 ou quando reduzir o índice de contaminação. Essa atividade de novos acolhimentos é extremamente necessária, uma vez que a instituição tem uma demanda reprimida. Por mês, mais de 100 pessoas desejam receber o serviço da entidade e não podem porque as regras de proteção precisam ser rigorosamente seguidas. Como parte das ações de Responsabilidade Social, a TKE apoia o Lar Torres de Melo, por meio da Lei do Idoso. Além dessa entidade, contribuímos com diferentes projetos sociais de todo o Brasil, de acordo com as leis de Incentivo à Cultura, do Esporte, Funcriança, Pronon e Pronas.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>