Essencial em todos os condomínios, o síndico é o gestor do patrimônio coletivo que carrega uma série de responsabilidades para administrar de forma eficiente o local onde moram ou trabalham muitas pessoas.

Para homenagear esse profissional, 30 de novembro é o Dia do Síndico. Função que vai além de promover o bom funcionamento do condomínio.

Além de conhecimento de administração, o síndico deve ter flexibilidade, para atuar em diferentes frentes, saber trabalhar em equipe e contar com o apoio de um quadro técnico especializado para poder fazer a diferença na vida das pessoas.

Essa presença de destaque no condomínio, inclusive, tem sido fundamental nos últimos meses, em função da pandemia da Covid -19.

Caso de Gilson Antônio Leite, síndico profissional e morador do Condomínio Edifício Terra Nova Nature, em Porto Alegre (RS), um dos maiores da região Sul, tanto em área quanto em unidades e população.

Ele é responsável pela gestão de um condomínio com 163 mil metros quadrados de área, inserido em uma Área de Preservação Permanente (APP), com 1.252 apartamentos e uma população de 4.500 pessoas, entre moradores e prestadores de serviços.

Esse público, quantidade similar aos habitantes das menores cidades do país, requer ações e exige responsabilidades como de um gestor de um município, principalmente durante a pandemia.

Comunicação e solidariedade

A comunicação foi a melhor ferramenta para que tudo fosse feito em conformidade com a legislação e funcionasse com segurança para os condôminos. Entre as primeiras medidas implantadas está a intensificação da higienização, com a disponibilização de álcool em gel em todas as portarias, entradas de elevadores e das áreas sociais quando ainda estavam abertas.

“Logo após o Carnaval, quando o vírus já estava no Brasil, conversamos com o grupo de administração e nossos principais fornecedores para traçarmos uma estratégia e um plano de contingência nos níveis operacional, sanitário e financeiro. Também naquele momento, antes do decreto de isolamento social, já tínhamos um estoque de álcool em gel para a população do Terra Nova Nature”, comenta.

Para que todos os moradores sigam as medidas de higiene e segurança, foram intensificados os informativos nos diversos canais de comunicação do condomínio. Entre eles site, e-mails, redes sociais e quadro de avisos espalhados pelas áreas comuns.

Também houve um aumento de trabalho de todos os prestadores de serviço, por conta do apoio logístico, instrução e orientação de cuidados; bem como do uso de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

Já os condôminos criaram grupos de mensagens, por meio dos quais repassavam os comunicados, e formaram equipes de solidariedade, para levar ajuda às pessoas que pertencem ao grupo de risco da Covid-19, como fazer compras no mercado. Alguns psicólogos que moram no condomínio também contribuíram dando apoio emocional para as pessoas não se sentirem sozinhas.

Desafios e cenário futuro

Como qualquer sociedade organizada, Gilson tem desafios no condomínio e o maior deles é com relação ao comportamento humano. E durante o isolamento social pela pandemia esses problemas despontaram com reclamações de barulhos, conflitos internos, violência doméstica, finanças familiares prejudicadas, entre outras questões adversas.

“Temos uma equipe grande que acolhe e busca conscientizar sem entrar no embate. Procuramos mostrar que se alguém descumprir as normas, não sou eu ou essa pessoa que sofrerá as consequências, mas toda a sociedade condominial. Diante disso, a minha responsabilidade como síndico e de toda a administração é enorme, pois precisamos proteger as pessoas com relação à saúde e à segurança”, explica Gilson.

Pensando em tudo que já foi vivenciado nos últimos oito meses, ele acredita que muitos procedimentos vieram para ficar, como os canais digitais para evitar o contato presencial e que agilizam a gestão do condomínio, entre outras mudanças. Mas, o mais importante, segundo ele, é a proteção de todo mundo.

“Administrar um condomínio é gerir a vida das pessoas. Acredito que as experiências que tivemos nos últimos meses mostraram que não há mais espaço para individualismos quando se mora em um condomínio, onde o coletivo se sobrepõe ao individual. Por isso, cuide-se, proteja-se pense em você e no seu vizinho, pois a pandemia não acabou”, alerta.

Por esse trabalho de gestor, cuidador, ouvidor, entre outros papéis que desempenha, parabenizamos o Gilson em nome de todos os síndicos pelo seu dia. Agradecemos o empenho desses profissionais por levar segurança aos moradores de milhares de condomínios, especialmente no combate ao novo coronavírus.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>