A ocorrência de acidentes em condomínios é mais comum do que se pode imaginar. Casos mais simples até os de maior complexidade e até fatais, infelizmente acontecem todos os dias.

Basta dar uma busca na internet para encontramos registros de casos de incêndio provocados por diferentes causas, como falta de extintor, só para ficar em um exemplo. Mas há outros relacionados às instalações de gás e energia elétrica, ar-condicionado, elevadores, entre outros.

Todos são equipamentos vitais para o funcionamento dos condomínios, mas que dependem de uma manutenção adequada para garantir a segurança dos moradores.

Por isso, a prevenção é o melhor remédio. Em outras palavras, não ser negligente na hora de checar as condições técnicas dos equipamentos e, principalmente, não fazer vista grossa quando é necessário colocar a mão no bolso e investir em segurança.

O fio da navalha é muito tênue e quem responde legalmente pelo condomínio pode sofrer consequências muito sérias. Para você saber um pouco mais sobre esse universo e não cair em armadilhas selecionamos algumas dicas básicas que podem ser úteis no dia a dia de todos que moram em condomínios.

Desafios na gestão do condomínio.

Desafios na gestão do condomínio.

 

  • Recarga e manutenção de extintores

    O extintor de incêndio é um item de segurança fundamental para o condomínio. Tanto que é uma obrigação legal do síndico a recarga dos extintores. Para realizar este serviço, a empresa precisa ser certificada pelo Inmetro – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Você pode conferir aqui a situação de uma empresa junto ao órgão. Para um controle efetivo da manutenção, o Inmetro criou um selo de conformidade para os extintores, que é válido em todo o território nacional. Ele deve ser trocado a cada manutenção do equipamento que deve ser feita anualmente. É bom lembrar que o Corpo de Bombeiros pode realizar uma vistoria no condomínio sem aviso prévio para atualizar o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e, caso encontre alguma irregularidade, pode aplicar multas. Portanto, manter em dia os extintores e demais itens de segurança contra incêndio, como porta corta- fogo, luz e saída de emergência, entre outros, é uma ação primordial.

  • Sistemas de ar-condicionado

    Com o aumento das temperaturas, o ar-condicionado é hoje um equipamento de necessidade básica para quem mora em condomínio. Nas áreas comuns, como recepção, salão de festas, academia, entre outros, o equipamento também é indispensável. Para manter o ar seguro é necessário seguir o Plano de Manutenção, Operação e Controle para sistemas de ar-condicionado em edifícios – PMOC, conforme determina a Lei Federal 13.589/18. O plano deve seguir padrões e parâmetros de qualidade de ar, regulamentados pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Os problemas mais comuns são decorrentes da instalação do equipamento, devido à interface com as instalações elétricas do prédio e os riscos de incêndio. A manutenção dos filtros e do painel frontal deve ser feita toda semana. Uma vez ao mês é recomendada uma limpeza mais completa e a cada seis meses a troca dos filtros de carvão ativado. E uma vez ao ano, deve ser feita uma limpeza externa do aparelho.

  • Instalações elétricas

    A falta de manutenção nas instalações elétricas do prédio pode levar a um princípio de incêndio com consequências muito graves. Portanto, é necessário realizar revisões periódicas para avaliar a necessidade de substituir uma instalação que já está obsoleta e, consequentemente, provocando problemas. Contratar um profissional especializado é a melhor opção para saber se algo está errado com a instalação elétrica.  Alguns sinais servem de alerta, como cheiro de queimado, fumaça, tomadas superaquecidas ou queda do disjuntor. Com uma boa avaliação técnica em mãos, o sindico pode planejar a execução da obra para trocar a fiação e os quadros elétricos, por exemplo. Um investimento que vale a pena e que pode traze ganhos no final com a economia de energia elétrica.

  • Instalações de gás

    Problemas com vazamento de gás são muito perigosos, pois existe o risco de explosão e inalação de monóxido de carbono que pode levar à morte.  Por isso, mesmo que não haja uma determinação legal para a realização de uma manutenção preventiva no sistema de gás, a recomendação dos especialistas para os síndicos é fazer um check up anual.  Mesmo porque, durante a vistoria do Corpo de Bombeiros, o condomínio vai precisar apresentar um atestado validado por um engenheiro responsável. Como o gás é um produto inflamável, a atenção deve ser redobrada para evitar vazamentos. Entre as prioridades da manutenção estão checar a instalação e itens como as mangueiras que sofrem desgastes durante o tempo. É sempre bom verificar a válvula de saída do gás, tanto do gás canalizado como o de botijão. As tubulações de gás também entram na lista. As mais antigas e muito comuns são de ferro galvanizado que podem enferrujar com o tempo, e que podem ser trocadas por materiais mais resistentes como o cobre.

  • Segurança com os elevadores

    Os elevadores figuram entre os equipamentos mais importantes para a mobilidade de quem mora em condomínio. Sem eles, não podemos fazer quase nada com conforto e segurança para subir e descer vários andares. Neste caso, a manutenção deve ser bem rigorosa e realizada em caráter preventivo uma vez ao mês, na maioria das cidades. Uma medida necessária, pois estamos falando do transporte de milhares de pessoas. A cada visita, o técnico de manutenção da empresa especializada precisa verificar vários componentes para atestar a qualidade do equipamento. Com o tempo, algumas peças precisam ser substituídas devido ao desgaste natural para manter a segurança do equipamento. O serviço de manutenção de elevadores exige conhecimento técnico especializado e o cumprimento de várias exigências legais para atuar na área.

    Junte-se a nós e faça a diferença no seu condomínio, agindo com segurança e ética. #vocênãoétodomundo

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>