As cidades precisam aumentar agora a economia de energia nos edifícios para atingirmos níveis significativos daqui a 15 anos. Ocupar a paisagem urbana com mais projetos de eficiência energética é o caminho para reverter os dados atuais. Hoje, os edifícios são responsáveis por 40% do consumo global de energia.

Esta foi a mensagem principal que o CEO da ThyssenKrupp Elevator,  Andreas Schierenbeck, levou para a Smart City Expo 2015, principal congresso mundial sobre cidades inteligentes, que acontece em Barcelona, Espanha, de 17 a 19 de novembro. “Hoje, os edifícios de nossas cidades estão ‘ligados’ a modelos energéticos ineficientes que têm uma vida útil média de 15 anos. Equipamentos, tais como elevadores, de aquecimento, ventilação e refrigeração não estão em execução em seus níveis mais eficientes, por isso é de extrema importância que esta questão seja enfrentada agora e mais recursos sejam dedicados à melhoria, modernização das instalações. Caso contrário, corremos o risco de continuar com baixos rendimentos energéticos até 2030″, afirmou.

Cada edifício comercial em construção implica uma média de 12.000 MWh do consumo de eletricidade para os próximos 15 anos. Nos Estados Unidos, mais de 150.000 edifícios são construídos a cada ano, levando a um consumo de eletricidade fixa de 120 TWh por ano, equivalente ao consumo anual de eletricidade dos Países Baixos. Reduzir este valor em 10% significaria 180 TWh de economia ao longo dos próximos 15 anos, o que representa uma redução de emissões de carbono para 180 milhões de toneladas de CO2, o equivalente a reduzir em 2 milhões o número de carros em circulação nas ruas por ano ou 3 bilhões de árvores plantadas e cultivadas durante o mesmo período.

Schierenbeck acrescentou que “o debate entre a produção e o consumo de energia não é novo, mas o rápido crescimento da urbanização que existe atualmente no mundo acelerou este debate e, mais urgentemente, exige a criação de um ambiente energeticamente mais eficiente. Em 2030, 60% da população mundial viverá em cidades e o consumo de energia nestas áreas urbanas vai aumentar em cerca de 25%. Portanto, edifícios hoje eficientes em energia não serão capazes de atender à crescente demanda. É necessário que as decisões tomadas hoje para o desenvolvimento urbano das cidades tenham o foco na sustentabilidade para as gerações futuras”.

Responsáveis, hoje, pela maioria do consumo global de energia, 40%, os prédios estão no centro do debate sobre a eficiência energética. Nas cidades, a tendência em construir edifícios altos gira em torno de como minimizar o consumo de energia e reduzir as pegadas urbanas. Com edifícios cada vez mais altos, os elevadores são uma das principais instalações que consomem mais energia e são, portanto, uma área importante a ser abordada quando se trata de melhorar a eficiência energética urbana.

“O desenvolvimento sustentável é uma necessidade que não podemos ignorar por mais tempo. Elevadores e soluções de baixo consumo, com uma série de benefícios claros e tangíveis, são essenciais para termos cidades verdadeiramente sustentáveis no futuro. Agora é a hora de integrar esses sistemas em edifícios. A experiência e os produtos existentes. O desafio é acelerar o processo de integração para melhorar o nosso parque imobiliário mais rapidamente”, concluiu Schierenbeck.

Para ler mais sobre a Smart City Expo 2015, acesse o conteúdo da nossa revista digital: http://www.urban-hub.com/ideas/which-is-the-smartest-city-in-the-world/

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>