A ideia de fazer o elevador instalado evoluir tecnologicamente traz embutido o conceito de modularidade. Ou seja, o condomínio pode optar por uma reforma do elevador de acordo com suas necessidades, levando em conta o valor do investimento.

Por isso, existem dois tipos de modernização:
Modernização parcial ou customizada – substituí desde os componentes mais complexos até os mais simples, mas não exige a troca de toda a estrutura do elevador. Neste caso, a reforma pode ser feita gradativamente, de acordo com o planejado.

Modernização total – todo o elevador é substituído mantendo-se seu prumo original para evitar retrabalhos civis e custos desnecessários. Alguns componentes como guias de cabina e contrapeso poderão ser mantidos sob análise técnica especializada.

Avaliação do elevador 

Uma avaliação técnica criteriosa ajuda a identificar quais partes do elevador antigo podem ser reaproveitadas. Cerca de 60% do elevador original pode ser reutilizado, com redução de custos para o condomínio.

Economizando nesses itens, o condomínio pode investir no embelezamento do elevador, como o revestimento ou substituição da cabina, a colocação de espelhos e outros opcionais.

O mais importante é o planejamento para que os prós e contras sejam avaliados antes do início da obra. Por isso, o projeto deve ser detalhado e aprovado em reunião de condomínio. Esse tópico será o próximo assunto dessa série sobre Modernização. Não perca!

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>