As impressoras 3D têm sido cada vez mais utilizadas nas universidades, na indústria, na medicina e nas diversas áreas do conhecimento para criar objetos com diferentes propósitos. Não é diferente na indústria de elevadores onde a tecnologia é empregada, imprimindo inovação aos processos tradicionais.

Thyssenkrupp_Sergio Roth_WishboxCom a impressão 3D é possível desenvolver protótipos, peças finais e até ferramentas. Elas possibilitam redução de tempo e de custos com relação à produção em larga escala. Por conta dessa facilidade, engenheiros e projetistas conseguem fazer testes rápidos, avaliar melhor cada molde e fazer ajustes no software assim que o protótipo é impresso. O que possibilita, também, criar num mesmo dia, até três protótipos do mesmo projeto depois das modificações.

“A impressão 3D proporcionou meios para produzirmos alguns itens específicos em baixa escala, além de todos os projetos da empresa, sejam relacionados à inovação, modernização ou lançamento, que antes são prototipados em baixa escala em impressão 3D”, explica Sérgio Roth, Gestor do Laboratório de Inovação da thyssenkrupp Elevadores.

A confecção de protótipos a partir de processos de impressão não é uma tecnologia recente. Ela remonta à década de 1980. Mas somente nos últimos anos, a impressão 3D começou a ser utilizada por empresas de variados ramos, que aproveitam a tecnologia de baixo custo na prototipagem e redução de tempo para desenvolver seus produtos com mais eficiência e otimização de recursos.

“O amadurecimento da impressão 3D na empresa nos mostra, a cada dia, novas oportunidades de itens que podem ser produzidos e prototipados”, avalia Roth.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>