O edifício comercial Birmann 32, em construção em São Paulo, terá os primeiros elevadores com velocidade de 7 metros por segundo do Brasil. O contrato firmado entre a thyssenkrupp e a FLPP – Faria Lima Prime Properties, empresa responsável pela incorporação do B32, prevê oito elevadores com essa velocidade para atingir o topo da torre corporativa com 125 metros de altura.

O projeto será uma nova referência em edifícios corporativos da cidade de São Paulo, no coração da Avenida Faria Lima. Além da torre corporativa reunirá espaços para eventos e teatro e uma ampla praça que integrará o empreendimento com o espaço público, em uma área total de 13.500 m².

Para atender a complexidade do projeto foram especificados 27 elevadores, incluindo os mais rápidos do Brasil, que garantirão a mobilidade das pessoas. A maioria, 23 equipamentos, vai atender a torre comercial e quatro serão destinados ao teatro que vai ocupar uma construção de seis andares ao lado da torre.

Lobby B32

Todos os equipamentos primam pela inovação com alta tecnologia e características exclusivas para o projeto. Entre elas, o sistema AGILE de Antecipação de Chamadas integrado às catracas com cartão e terminais com telas touch screen que podem ser personalizadas, por meio do Agile Design Center. O empreendimento também contará com o AGILE Gestão de Elevadores para a programação do uso dos elevadores de acordo com a demanda do empreendimento.

A operação dos elevadores será mais eficiente com as máquinas sem engrenagem com imãs permanentes e o sistema regenerativo de energia, tecnologia que permite ao edifício utilizar parte da energia devolvida pelo elevador durante seu funcionamento, resultando em até 35% de economia de energia. Esses atributos são fundamentais para a sustentabilidade do projeto que já obteve a para a pré- certificação LEED Platinum.

Os elevadores do B32 também estarão conectados ao MAX, primeira solução de manutenção preditiva para elevadores do mundo, baseada em soluções de inteligência artificial e Internet das Coisas (IoT) da plataforma de nuvem Microsoft Azure. Com MAX é possível detectar falhas nos elevadores antes que elas provoquem, por exemplo, uma paralisação do equipamento, reduzindo pela metade o tempo atual que os elevadores ficam fora de operação.

O projeto arquitetônico é assinado por Chien Chung “Didi” Pei do escritório Pei Partnership Architects, responsável pela criação do Ronald Regan Medical Center da Universidade de Los Angeles e da renovação do Fine Arts Museum de Boston, entre outros.

Para conhecer mais sobre o Birmann 32 acesse o site do empreendimento.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>